segunda-feira, 22 de abril de 2013

Feiticeiras da Eucísia



- Há nesta povoação uma particularidade bastante curiosa que deriva da seguinte lenda:
No tempo em que a Eucisia pertencia ao arcebispado de Braga, costumava ir ali um pa-
dre, que era do Minho, visitar a igreja e ver se havia  falta de paramentos,etc.
Uma vez, hospedado  em casa de família que o recebeu bem,
com boa ceia e boa pinga, não do verde a que ele estava acostumado,o vinho principiou a surtir os seus efeitos,quando já se encontrava  o nosso padre no quarto-para  se deitar,mas
precisando satisfazer a certas necessidades fisiológicas entrou para a cavalariça aonde lhe
tinham recolhido a montada. Porém, o efeito dos vapores do álcool  subiram a tal ponto que o padre lá ficou até ao dia seguinte;sendo ali encontrado e perguntando-se-lhe a causa de tal facto,respondeu que se havia deitado na cama,e se estava  naquele sitio  é porque tinha sido levado pelas teitíceiras e que contra elas era bom usar trovisco
Eis ,o motivo porque a povoação da Eucisia é chamada a terra das feiticeiras e corre grave
risco quem ali vá com ramo de trovisco no chapéu.
In MONOGRAFIA DO CONCELHO DE ALFÂNDEGA DA FÉ, de João Batista Vilares 

Nota de editor:Este depoimento é um excerto do projecto “Gentes de Alfândega - Memórias”, desenvolvido pelo Município de Alfândega da Fé.

6 comentários:


  1. Adorei a história, ri abom rir...!
    Pobre do padre, que o vinho subiu-lhe á cabeça,
    que não deu conta do recado...!
    Quando for a Afândega da Fé, não me esquecer do ramo de trovisco!

    Saudações da Célia

    ResponderEliminar
  2. Parece uma história da dra. Júlia Ribeiro.A frescura ,voz e humor da senhora vale um poema.Grande mulher.Há uma quinta no concelho de Moncorvo com o nome de Trovisco.Podiam lá construir um lar para padres.
    Viviam na paz do tinto.
    Falta-me o chapéu e o ramo de trovisco para ir à Eucísia,levo um pacote de amêndoas cobertas e ofereço à senhora dona Maria Helena Vieira.Bravo!
    Afonso D.

    ResponderEliminar
  3. Trovisco é o nome vulgar de várias espécies de plantas arbustivas da família Thymelaeaceae encontradas na Ásia e Europa muito cultivadas para a utilização em jardins. Incluem-se Daphne lauerola e Daphne gnidium bem como Thymelaea villosa, as quais podem ser encontradas em Portugal.1 A maior parte destas plantas são tóxicas.WIKIPÉDIA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trovisco é uma planta que se dá em terrenos um pouco ácidos e algo pobres,pelo menos pelo que conheço a olho nu, própria de climas mediterrânicos e continentais, na nossa península ibérica, cujo porte andará pelo metro de altura, sendo que o caule é cilíndrico, da grossura de um dedo revestido por casca verde-escura que se desprende muito bem.O descascar é muito semelhante ao do vime. Naquele poema " hino ao pastor de Remondes " aparece lá referido num verso...E por estarmos em tempo de feiticeiras/bruxas, como disseram ao Lelo , no seu trabalho de "fotógrafo - antropopólogo-unesquiano" na Eucisia nem o mais pimpão se deve aventurar com raminho de trovisco a enfeitar chapéu..voltando ao trovisco, as suas folhas são parecidas com as de lentisqueira ( oliveira brava) . Sendo planta tóxica então os criadores de gado ovino ou caprino ornavam os cornos dos animais com uma tira da casca para afugentar maus olhados..Coisas dos antigos...Uns colocam cornos junto do para-choques dos automóveis. Outros utilizam a ferradura para que as economias cresçam em tempo de fartura ou de magreza. Para proteger bebés utilizavam-se amuletos como um pequeno tricórnio ou um "signo saimão". Outros,ainda dizem que, estando uma " aranheira" "pendurada" ou em qualquer canto de casa não se deve retirar pois é sinal de dinheiro. Ainda no passado Sábado ,num café de uma cidade do litoral, dois modernos motoqueiros, enquanto viam as imagens do Grande Prémio de Austin, o dono do café repara numa aranheira e quis dar-lhe a volta com a "piassaba"...
      - Não a tire que é sinal de riqueza. Atirou o mais idoso dos motoqueiros.
      Há muitas mais superstições que no fundo são caldo cultural de milhares de anos..Ortega y Gassett dizia " no lo creo en las brujas, pero que las hay hay". Se assim não se deve escrever perdoai pela alma de quem lá tendes e se forem até à Eucisia tenham cuidado não vos ponham a pão e água com umas arroxadas no lombo que até andais a nove pelas encostas que conduzem aos Nozelos ou para os Estevais e nem vedes trovisco a rodo.!

      Eliminar
  4. Horácio Chilão escreveu:Destas "preciosidades de cultura" GOSTO! Agora publicidade, por amor de Deus...

    ResponderEliminar