quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Torre de Moncorvo vai ter Núcleo de Apoio à Vitima de Violência Doméstica

NOTA DE IMPRENSA

Protocolo permite criação de Núcleo de Apoio à Vitima de Violência Doméstica em Torre de Moncorvo

A Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Dra Catarina Marcelino, participou no passado dia 25 de Julho, na cerimónia de assinatura de um protocolo, que permitirá a criação de um Núcleo de Apoio à Vitima de Violência Doméstica, em Torre de Moncorvo. 
A cerimónia teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho e contou a presença das várias entidades envolvidas, entre elas a Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Câmara Municipal de Alfândega da Fé, Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Centro Distrital da Segurança Social de Bragança, Delegação Regional Norte do Instituto do Emprego e Formação Profissional, Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares – Direção de Serviços da Região do Norte, Unidade Local de Saúde, Procuradoria da República da Comarca de Bragança, Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses, Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco de Alfandega da Fé, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco de Torre de Moncorvo, Comando Territorial da Guarda Nacional Republicana de Bragança, Liga dos Amigos do centro de Saúde de Alfândega da Fé, Santa Casa da Misericórdia de Torre de Moncorvo e Fundação Francisco António Meireles.
O Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo referiu que “ a estratégia de combate à violência doméstica vai ser aprofundada no sul do distrito, através deste compromisso assumido pelo Município de Torre de Moncorvo, Município de Alfandega da Fé e pela Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade.” Salientou ainda “estou certo que todos iremos conseguir dar as respostas, sem grandes alaridos mas com as especificidades que os casos assim o exigem.”
A Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade explicou que “um dos primeiros objetivos é duplicar os núcleos de apoio à vítima no interior de Portugal”, sendo que este é já o nono protocolo assinado desde Maio de 2016. “A intenção deste núcleo no distrito de Bragança foi logo uma das primeiras prioridades que implementamos, porque o território é difícil em termos de geografia e porque temos consciência que culturalmente também alguns territórios são mais difíceis que outros”, referiu Catarina Marcelino.

Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, 31 de Julho de 2017
Luciana Raimundo

1 comentário:

  1. Excelente !!! Para ver se conseguimos acabar com essa prática infeliz e atrasada !

    ResponderEliminar